quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Ninguém "É" nervoso

Tenho vários nervos. Um montão deles em mim. Mas isso, todos temos.
O que acontece é que uns seguram seus "feixes" (que parece facho) de modo mais sereno. Outros não.
Um dia um aluno perguntou se nunca ficava nervosa, depois de tentar me tirar do sério, respondi: "Nesse momento estou nervosa com você". Ele sorriu e perguntou se eu queria café. Sorri e asserenei.
Acredito que existam pessoas que não passam pela experiência do nervosismo, porque já vieram com dose extra de "calma". Isso vem de berço também.
Alguém que foi muito criticado, ou rejeitado, ou vilipendiado ou... Desde a infância, ou desde o útero, não poderia ser uma criaturinha muito calma (se bem que lembrei-me de Chico Xavier agora...)
Mas Chico Xavier teve um montão de outras vidas anteriores onde não era calmo. Por isso, meu caro Kardec, me aguarde que um dia chegarei à calma e sabedoria de Clara de Assis. (rsrs)
Estive mais nervosa há uns tempos atrás. Adoeci a pele. E uma médica me disse: "Mas para quê isso? Escreva! Você não é escritora"?
Corrigi a médica, assinalando que era mais poetisa que escritora. Ela então sorriu e disse: "E é brincalhona também"...
Comecei a escrever um livro. Ele está guardado para a hora do parto. Já nasceu, tem um ano e cinco meses, mas será publicado na hora certa.
Dentre um dos versinhos, existe um que diz muito sobre aquele momento, e percebi que havia humor ali. E dei de aproveitar-me disso, mas sem fazer como gaiatice (escritos gaiatos são muito chatos...).
"O homem-cão não queria casar
mas não queria largar

o osso".
O poeminha metido a Haicai acima é meu e está no livrinho que escrevi. Coloquei, então, para fora, o nervosismo daquela época de modo físico: escrevendo. Foi muito bom!
Quando comecei a escrever esse livro, não sabia que ficaria engraçado, e sério, e triste, e alegre... Realmente foi uma ótima surpresa. Dediquei à médica homeopata que me atendeu e aos que estão (porque um dia seremos todos serenos) nervosos. Dediquei também aos que tem nervos de aço.
Hoje, conversando com minha irmã Neide, lembrei desse livro-diário. Ela sempre me acrescenta. Quando estou com Neide, cresço uns 2 centímetros por semana. Então, nesse momento, já não mais tenho 1.50...
"Você é nervosa" - ela me disse. Eu respondi que não. Ela insistiu. E ficamos nisso. E depois que ela saiu, eu sorri... Lembrando que somos umas tolas...
Não somos nervosas Neide, estamos. Isso vem do berço de nossas vidas. Já fomos muito mais. 
Você não É nervosa. Ninguém "É" nervoso... Nós ESTAMOS. Somos Espíritos em progressão. 
Um dia, seremos muito calmos e serenos feito Madre Teresa, Santa Teresinha do Menino Jesus, Clara de Assis (que sou mega-plus-fã) e todas as outras criaturas que já são exemplo de calma nas calamidades dos curtos-circuitos dos feixes de nervos que possuímos.

Te amo.
SOLINEIDE MARIA
27-11-2014

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Flora (uma cartinha de amor)

Minha filha,
nesses 17 anos em que nos conhecemos e compartilhamos o crescimento dos nossos Espíritos, estou feliz de ver, daqui, de longe, como você progrediu.
Como você está bem... E como você é linda, mas linda mesmo, na alma.
Passei por ruas onde passamos quando moramos aqui em São Paulo. 
Ouvi sua fala de menina que queria estar comigo sempre.
"Mamãe, se for longe, mesmo assim, eu vou". Você me dizia. E você ia comigo...
Andamos ruas e ruas juntinhas. Você falando coisas de criança e eu sorrindo de suas palhaçadas...
Você perdeu, um pouco, esse dom, mas continua linda na alma.
Você me ensinou muito. Aprendi, por exemplo, que devo dar mais razão a mim mesma e que ouvir os outros, só se for para me melhorar.
Você sempre me diz:
"Mãe, a felicidade da gente incomoda aos demais"...
Amanhã lhe conto mais sobre minha saudade e meu amor por você.
Sua mãe

(Solineide Maria)

Hoje a poesia quer café...

Hoje não tem poesia,
tem café.
Quer?
Com ou sem açúcar?
Adoçante?
Hoje a poesia quer tomar MUITO,
mas MUITO café.

Solineide Maria

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Descuido

Nunca mais deixo as unhas por fazer... Este foi meu pensamento, naquela imensa sala decorada a rigor.

Solineide Maria

Solicitação

Deixe-me ir
por favor...
Preciso abraçar meu amor!
Preciso abraçar meu amor...
Deixe o meu amor me abraçar.


Solineide Maria
(Para marido...)

sábado, 22 de novembro de 2014

Amour Movie Trailer (Cannes 2012)

"AMOUR" por encomenda

O vendedor de DVD
peruano
estava a todo vapor
a vender sua mercadoria.
"Tem Amour"?
Ele então perguntou-me sobre a obra
descrevendo o filme
e prometeu conseguir.
Empolgado assinalou:
"Película muy bella,
he ganado un Oscar"!
Prójima semana sí"?
"Por supuesto que sí".
Respondi.
Então, em seu caderno,
anotou o a encomenda.
São Paulo tem disso,
vendedor de DVD
que indica filmes europeus,
brasileiros,
alternativos.
E que sabe descrever
os pormenores das tramas.
Y los admira.

De Solineide
(Feira da Vila Guarani)
22-11-2014

ALICE

Ela me olhou,
olhos castanhos claros e miou:
"vem aqui".
Ela queria comida,
e água.
E carinho...
Alice é assim,
uma gata calada,
carinhosa,
cativante.
Depois se aquietou
e participou do Evangelho da manhã.
Só não comentou
porque as palavras de Jesus
para ela
não carecem mais
serem comentadas.

Para Alice
Gata de minha irmã Neide.
22-11-2014

terça-feira, 18 de novembro de 2014

DIFÍCIL NÃO É MORRER, É ESTAR MORTO

Difícil não é morrer,
é estar morto.
Morto enquanto caminha
pela cidade...
Braços despencados,
sem força para o adeus
à amiga que acena
ALEGREMENTE...

A amiga não ficou triste
ela entendeu
(parece)
que o amigo,
aquele que apenas
sorriu frouxo,
estava morto de alegria.

Difícil não é morrer,
porque a vida segue...
Difícil é estar morto.
É não ver que as coisas
estão a despencar,
e não se nota...

Difícil é a verdade ali,
ali, ali,
na ponta do nariz,
e não enxergar...

Essa morte-vida
é que é difícil...
Ela é mais forte que a outra,
a que veste preto e porta foice
(no desenho dos homens).

Por isso é que DEUS criou
as palavras,
para serem um clarão à mais
para a alma dos mortos vivos...
Mas tem que ter olhos para ler.
E ouvidos para escutar...

Solineide Maria
(Catarina está aqui)

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Versos de amor inspirados por Florbela Espanca



Amo este homem
que Deus me enviou;
e toda sua paz
recebo com amor.

Amo-te, e sou tua,
para a eternidade.
Sinto a alegria
dos Arcanjos na cidade.

Amo-te oh Luz!
Clarão da Divindade.
Alegria ansiada.
Amparo em meia idade...

Solineide Maria
Para Jorge Rafael

MATERNIDADE

Espero você...
De tão esperançosa,
já sinto você...
Daqui
da janela
da eternidade
do meu útero Divino.
Te amo meu flho,
minha filha...
Irmãozinho ou
irmãzinha
de Flora Maria.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Importante é ser ponte

Em toda parte o serviço espera seu coração. Em todo lugar há quem possa abraçar e amar.
Começa por amar os de sua casa: pais e irmãos, filho, filha.
E se não consegue, ainda, fazer tudo o que pode, faça o melhor que pode: sempre com o coração e de coração.
Importante é ser ponte, jamais, em condição alguma, seja impedimento.

Solineide Maria
Se não consegue ser paz para o irmão, onde se encontra, seja amor que ama de longe.

Solineide Maria