terça-feira, 27 de outubro de 2015

NASCIMENTO SEM CHORO

Minha primeira filha
nasceu sem chorar.
O médico me olhou,
olhou para a enfeira e disse:
"o  que houve, um bebê educado"?

Deu tapinha na bunda pequena,
tapou o nariz,
Perguntou para mim
já meio preocupado:
"posso dar um beliscãozinho"?
Acenei que sim.
Nada...

Comecei à chorar.
Talvez para que o choro
dela viesse...
Chorei mais e mais,
mas a enfermeira me sedou...

Quando acordei,
passava da meia noite,
oito horas depois...
fui visitá-la
na encubadora.
A enfermeira me disse
"olha mãe, ela chorou muito quando
lhe puseram as agulhas nas mãos
e pés", (soro).

Fiquei meia hora a vê-la
através do vidro.
Mas olha, é tanto amor
que atravessei o vidro e
pude pegá-la nos braços...
Depois voltei para o quarto.

Minutos depois,
trouxeram-na para mim,
para amamentá-la.
Ela me olhou e disse:
"oi mãe, estou com fome".
Não chorou.

No entanto,
faminta,
quase engasgou...
Eu,
toda contente de ter peito
pequeno
e leite farto,
dei a quantidade
que a pequena filhota quis...

Deletei-me com aquele dar leite.
E ela, de tão farta,
voltou a dormir.

mãe Solineide
filha Flora 

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

PROFESSOR

Mas é como disse ontem com um amigo-eterno, "a sala de aula é o mundo todo"...
Temos que nos educar diariamente. Educar o filho, a filha, o nosso amigo, o esposo, a esposa, o colega de quarto, a colega de quarto... O cobrador de ônibus.
Muitas vezes somos educados pelo cobrador de ônibus. Vários deles ainda nos dão bom dia, como a que solicitar nossa educação que, por vários itinerários, esvai-se pelos bancos de espera de ônibus mequetrefes que nos levarão para escolas longínquas e desprovidas de material para aprimorar as aulas...
No entanto, quando se consegue um Diploma com louvor para ser professor, de fato e de direito, ah... Isso é que é que muito bacana! Mesmo quando lhe expressam aquele sorriso amarelo a inquirir: "Ah... você fez Letras"?... "Ah... ela se formou em Pedagogia"? "Você sabia que fulano se formou em História"?...
Mesmo quando somos "apagados" da vida daqueles por quem passamos um dia... Porque estaremos lá, naquele ser, no histórico de aprendizado dele.
Mesmo quando somos aqueles seres que explicamos sobre leituras, leitores, ledores, escritores, escrituras, escreveduras... Textos que se espalham pela vida afora e adentro e não notamos muitos olhinhos pirilampos...
Estão lá fora... Lá fora no celular ou outro aparato tecnológico os quais ainda não sabem para que servem... Ou serviriam,,,
E aí cabe ao professor lhes dizer: "ei homo-mídia, esses aparatos não lhes farão ter conhecimento se não souberem o que fazer com eles".
Mesmo quando batem em nós, nas passeatas e até nos matam de vergonha quando recebemos o contra-cheque... Que é CONTRA toda e qualquer possibilidade de vida um pouco melhor alimentada, um pouco melhor vestida, um pouco melhor maquiada. Se for homem, um pouco melhor calçada (porque sapato masculino é muito caro...)
Mesmo com todas as impossibilidades e desrespeitos, ser professor é maior. Cabe no coração e a gente arranja mais um, mais dois... Três... "Amanhã saio dessa escola que não me paga... Mas tem o Semestre para findar... No final do Semestre eu saio"...
Ser professor é mesmo uma espécie de "bichinho que pega" como dizia Rubem Alves...
Mas o professor "MESMO" deve, como Freire ensinou, mais perguntar do que responder. Não que ele não saiba a resposta, é que é preciso adestrar o pensamento. Colocar a cabeça para funcionar, "matutar" até encontrar, talvez, outra pergunta. E que genial! Outra pergunta! GENIAL!
Ser professor é isso. Ir por aí afora...
Por aí a fora...
Adentro...
Ah... Dentro! Quando o professor consegue chegar adentro do outro, puxa! Que emoção! Sublime alegria verificar nos olhos do outro o entendimento, o acréscimo no brilho do olhar daquele outro (que foi um dia o professor quando infante).
Que Deus abençoe nossa caminhada e "caminhadura" na Educação.
E sim! Um dia, todas as Pátrias serão dignas de se dizerem Pátrias Educadas e terão professores dignamente respeitados, em todos os sentidos.
Parabéns professor!
Parabéns professores, professoras, estudantes de Licenciaturas que os levarão à muitas salas de aula, algumas quase "sem teto e sem chão", mas com gente. E é essa a nossa função, manusear o Ser, prestar para fazê-lo enxergar-se maior, mais. Ser amoroso, sobretudo e não se envergonhar de dizer para ninguém que é professor!
Solineide Maria de Oliveira do Patrocínio Rodrigues.
Professora
(Língua Portuguesa. Língua espanhola. Literatura Brasileira e Portuguesa. Nível Intermediário I - II - Especializada)
Poetisa
Escritora
Sonhadora
DEDICO ESTE TEXTO AOS MEUS PROFESSORES TODOS, DESDE A ESCOLINHA GASPARZINHO, ONDE FIQUEI, APENAS 1 MÊS, PARA APRIMORAR A LEITURA QUE MINHA MÃE HAVIA ENSINADO EM CASA (MINHA MÃE ESTUDOU ATÉ A SEGUNDA SÉRIE DA DÉCADA DE 30 NA ZONA RURAL).
DEDICO AOS PROFESSORES DA ESCOLA AGRUPADA OZANAM (SOBRETUDO, CELESTE...).
DEDICO AOS PROFESSORES DA UESC. TODOS! TODOS!
AOS PROFESSORES DA PÓS.
E DEDICO AOS MEUS AMIGOS PROFESSORES E PROFESSORAS. TODOS E TODAS!
Eliuse Silva, Janaína Soares Alves, Sandra Carneiro, Tiane Oliveira, Peter Turton, Isaias Carvalho, Patricia Pina, Claudia Lanis, Odilon Pinto, JORGE CLINIO, Andresito Miti, Inara De Oliveira Rodrigues, Jaciara Santos, TODOS E TODAS!
Para minha Turma de 2007-2011 Uesc...
Para Agildo, meu amigo-irmão, que enviou um e-mail emocionante, parabenizando-me pela profissão que forjamos juntos, anos a fio... e que  escreveu dentre outras lindas palavras:
"o futuro, mais do que nas mãos dos outros, está em nossas mãos. Cada pedacinho do futuro para cotidianamente pelas nossas mãos. Quando os alunos conseguem seus lugares no mundo,nós também estamos lá, mesmo quando eles nos apagaram ou só destaquem a presença de um professor, na verdade estamos todos lá. Mas há algo que não precisamos que nos deem, nem que temamos que nos tirem, pois é nosso e conquistamos com muito custo: a consciência" (AGILDO OLIVEIRA - Professor doutorando em Linguística na Usp.

Solineide Maria de Oliveira do Patrocínio Rodrigues
Professora (Língua Portuguesa. Língua espanhola. Literatura Brasileira e Portuguesa. Nível Intermediário I - II - Especializada)
Poetisa
Escritora
Sonhadora

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

CARTA PARA ALICE

Alice...
me ensina esse olhar. Essa postura de mulher fina. Esse silêncio tão cheio de falas. Alice, vamos tomar um café? Hoje à tarde? Pode ser? Você me ensinando a calar e eu lhe ensinando nada, que é o que o ser humano sabe ensinar de melhor.
(solineide maria de Oliveira do Patrocício)


A MÁGOA

A mágoa é artimanha inconsciente para que você não evolua. 
Não dê amparo a este tipo sentimento, aliás ela não deveria ter o direito de se chamar sentimento. 
A mágoa é veneno secular; destrói muitos corações e tem força maior que a de um abraço sincero transbordante de amor.
Cuidado irmãos... Não a alimente, pois ela é falso argumento contra o perdão. 
Não adote este leme de mentira, para navegar nas águas que devem ser as de sua evolução. 

Alaor (meu amado amigo espiritual - amado, muito amado)