segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A POESIA VEIO

A poesia planta palavras diz assim : 
Sol, vem. Eu consigo ouvir. 
 Vou. 
Ela me fala que me ouviu. 
E que veio porque teve misericórdia de mim. 
Deu- me um abraço enorme igual a um paralelepípedo
desses que andamos à mar-abalizar quando infantes... 
Ela estava triste. 
 Contou que foi para um Congresso das palavras cansadas. 
 Poxa vida... 
A poesia fica sem palavras sabia disso? 
 Eu fiquei muda. 
Perplexa! 
Também eu estive muda. 
Contei. Ela pediu desculpa...  
Porque tem um pouco de colaboração na minha mudez. 
Pois... Disse. 
Abraçamo-nos. 
Ela prometeu não sumir tão já. 
Depois, tomamos café, 
contei as novas idades... 
Ela contou novidades. 
E a noite acabou. 

Autoria:  Solineide Oliveira Patrocínio Rodrigues

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

QUERO SER MENDIGO DE AMOR

A forma mais sublime de amar é amar mendigando.
Porque é de tal modo bonito ser mendigo,
não ter nada e só ambicionar amor, amar...
É tão sublime ter sede de amor
que mendigar amor se torna assim
a mais autêntica forma de subir.
Passei dias pensando sobre isso,
e um poeta, Carlos, declarou:
"olha Sol, discordo de mim mesmo hoje.
Hoje quereria ser mendigo de amor".

(Solineide Maria de Oliveira do P. Rodrigues)

De certas dores...

Tem dor que não se conta porque ninguém entende. (Solineide)