terça-feira, 28 de junho de 2011

UM POETA, SERVE PARA QUÊ?

Para que serve um poeta?
hoje a poesia naufraga
feito flor desmerecida...

Para quê?
Meu Deus, me diga...
Para passar sem ser visto?

Hoje as coisas são de plástico,
ninguém gosta de moringa,
quase não se vê diários...

Para quê?
Por que escrever sobre o amor
se ninguém ama?

Para quê?
Por que ressuscitar palavras
que não serão assistidas?

Para quê?
O que um poeta pode fazer
contra a indiferença?

Por que dizer que se sente,
que ainda sente,
algo que parece amor?

Para quê
querer acordar olhos, olhares,
num mundo que não quer ver?

PARA DRUMMOND - meu amado eterno, eternamente!
Solineide Maria

sexta-feira, 24 de junho de 2011

EVOLUÇÃO

Um dia serei elevado à condição de cão
Fiel e bom sempre.
Sempre amigo e sempre próximo.

Um dia serei tão esperto feito um cão,
Avisarei velozmente sobre um perigo iminente.
Protegendo-me e ao próximo.

Um dia serei melhor... serei igualzinho a um cão
Que cheira odores e dores
Transformando tudo em amores.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

O ACORDAR DA FERA QUE TODOS AMAM

Um dia acordarei sabendo tudo.
Ninguém vai duvidar do meu discurso!
Serei convidada para palestras,
bancas, saraus e festas...

Ah! Serei a que toma o microfone
e a todos embala em voz insone
suas lindas bobagens de acalentar.
E todos a dormir baterão palmas!

Um dia nunca mais serei aquela
que carrega a voz miúda e educada.
Chegarei triunfante nos lugares:
sobretudo escolas, secretarias e balcões...

Ninguém mais irá dizer: fale mais alto!
Ninguém mais irá falar: ela é baixinha...
Ninguém mais vai me dizer: você não pode ser tão calma!
Serei outra: aquela que afeta.

A que passa por cima, que não tropeça.
A que ordena, a que fere e tripudia.
A que não agradece e manda embora.
A fera a que todos erigem elogios.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

ONDE TEM UM ZERO OITOCENTOS PARA SORTE?

Onde tem um 0800 para a sorte?
E para o entendimento?
E para a alegria?
Tem 0800 para a compaixão?
E para ajudar o cidadão-professor?
Tem 0800 para tudo!
Tem 0800 para a VERDADE?
tutututututututututututu...

A TV não te vê!

A TV não 
te vê!
Não tá nem aí procê!
Se liga (bobalhão) 
em você!

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Mãos desatadas


Não sou poeta.
Nem desejo escrever livros 
que enfadem o mundo
com algumas confusas emoções. 

Sentimentos...

Não sei escrever para este Mundo.
Nem desejo escrever para nenhum deles
alguma coisa que não seja útil.
Mas é tão triste não falar sobre a tristeza 
deste Mundo...

Estamos muito afastados. 
Muito...
Os Anjos, para onde foram?
Diziam (os mais velhos), 
que no fim do Mundo haveria 
Anjos e trombetas...

Nem Anjos e nem Música Divina.
Nem um bem-te-vi...
ou quero-quero...
Contentemo-nos uns sem os outros.

Solineide Maria