quarta-feira, 30 de março de 2011

Do acaso de si para si e de coisas assins

Acaso me conheces
Para tratar-me com descaso, meu senhor?

Acaso sabes que venho de longe
Tateando a natureza das coisas?
Alimentando a esperança;
Dando um taco de pão ali,
Outro acolá,
Para que esta não definhe
Nesta labuta de descobrir,
Localizar, achar.

Sabes que perdi já,
Alguns amigos?
Sabes que todos eles estão
Muito bem obrigada...
Um em Londres rico e fino,
Outra casada com homem rico,
Outra amante de milionário,
Outro juiz no Planalto Central,
Outra professora Dra. de coisas afins
E eu aqui, apenas buscando,
Procurando,
A felicidade nas coisas simples
E na razão das coisas...

Não me trates com descaso
Porque isso é arte sabia?
Perseguir um ideário,
Uma luz no fim do túnel,
Um poema que não vem,
Um amor que se nega a aparecer,
Uma música original,
Uma pérola azul-cristal,
Um quadro que nunca viram
De Jesus trocando as fraldas.

Meu senhor,
Não trates com descaso
Este belo exemplar
Do acaso que sou.

Solineide Maria

terça-feira, 29 de março de 2011

Manhã noturna

Ainda que a manhã seja noturna
aquece tua alma e não lastime.
É bom amanhecer,
ainda que a manhã
seja noturna...

sexta-feira, 25 de março de 2011

meu Deus, estou cansada

meu Deus,

estou cansada, mas não na carne.
estou cansada na outra parte que me deste.
É uma tarefa difícil ser firme,
não cair em tentação...

estou assim... em riste.
não sei explicar, mas às vezes incomoda
nas unhas, nos cílios, na veia mais escondida
do meu coração.

estou como em paralisia,
não porque estou perplexa. Não.
Nem estive mais perplexa por esses dias:
estou apenas como em paralisisa.

Ontem, meu Deus, quase deitei na rua.
Assim, do nada... O cansaço de quem perde um filho,
não sei, me abateu totalmente.
Não o fiz porque um amigo apareceu.

No entanto, agora, aqui na sala,
estou exposta e disposta até a sucumbir.
meu Deus, como é difícil ser forte
ensina-me.

SOLINEIDE MARIA

sexta-feira, 18 de março de 2011

LADAINHA DOS PROFESSORES


 Santo Agostinho
tende piedade de nós.
Paulo Freire
tende piedade de nós.
Florestan Fernandes
tende piedade de nós.
Milton Santos
 tende piedade de nós.
Pedro Demo
 tende piedade de nós.
Luckesi
tende piedade de nós.

Cecília Meireles
 rogai por nós.
Raquel de Queiroz

rogai por nós.
Adélia Prado

rogai por nós.
Lya Luft
rogai por nós.
Maria Clara Machado
rogai por nós.
Alice Ruiz
rogai por nós.

Madre Teresa de Calcutá
ouvi-nos
ensinando-nos a sermos professores
 com a dignidade de poder adentrar na sala e não enganar.

Amélia Amado
ouvi-nos.
Odilon Pinto
perdoai-nos.
Clínio Jorge
tende piedade de nós.

Platão que tirais a venda dos olhos de muitos:
perdoai-nos.
Aristóteles que continuou o trabalho de edificar mentes:
ouvi-nos.
Sócrates que iluminastes a mente de muitos:
tende piedade de nós.

SENHOR
 tende piedade de nós...
CRISTO
 tende piedade de nós...

Senhores e Senhoras: rogai por nós!


UESC/2011- Para minha turma: 2007-2011.

terça-feira, 15 de março de 2011

Oração (pedido para desaparecer por uns dias)


Senhor,
como desaparecer por uns dias de mim.
Como, diz-me, como descansar de minhas teimosias, minhas bagatelas, meu caos.
Ensina-me a sumir de mim, para que me encontre adiante, um tanto melhor, um tanto revisada.
Faz Senhor, com que me canse na elevação e descanse na sombra das boas memórias. Faz-me com que queira me livrar das mazelas do que sou.
Amém.

Solineide Maria

sexta-feira, 4 de março de 2011

O que é que eu vou fazer nessa folia?

O que é que eu vou fazer nessa folia?
Estou bem no meu canto,
já tenho alegria.

O que é que tem nessa folia?
Tem paz de espírito,
tem Teogonia?

O que traz essa folia?
Traz cavalo branco
que fuja a galope?

O que significa essa folia?
A união das pessoas
em prol da harmonia?

O que é que gera essa folia?
Se o resto do ano
registra agonias...

No fim dessa folia
há sono tranquilo,
ou a alma gira
em busca de um canto
que não estropia?

quinta-feira, 3 de março de 2011

O HOMEM SEM MEMÓRIA

 Estou sozinho,
sou um homem sem memória.
Carrego apenas de lembrança
uma corneta.

Já sei que nunca fui palhaço
não por ofensa,
é que eu sinto que a alegria
é recompensa.

E não me sinto recompensado,
nem mesmo agora,
quando bebi, comi,
e sentei nessa cadeira.

Minha memória de mim
é isso que conto agora.
Talvez me lembre de alguma
história que enalteça.

TEMER APROVA O TRABALHO ESCRAVO

De onde saiu essa criatura que atende na função de Presidente de um país com gente que trabalha para pagar feijão, arroz, carne seca, água?...