domingo, 29 de maio de 2011

MEMORIAL - um tanto desmemoriado (parte II)

QUARTO SEMESTRE


O Espanhol sem mestre,
sem nota, três meses...
Aquela moça Estagiária
salvou o semestre.

Salvou? É salvou...
Continuamos.
Eu, aquecida pela leitura
de Dom Quixote.

QUINTO SEMESTRE


Tanta coisa esfriou,
no "meio do caminho".
Um Curso bonito!
Quem se importará?


Continuamos, no entanto
e vieram os Seminários,
os Colóquios, as pesquisas,
as apresentações...



A leitura me salvou!
Palavras benditas,
autores, autoras:
Literatura, aqui estou.

Como é um Memorial desmemoriado, pode ser que as informações estejam em semestres opostos. No entanto, como continuarei tal composição, tudo certo...
Solineide Maria





sábado, 28 de maio de 2011

MEMORIAL UM TANTO DESMEMORIADO - PARTE I

Escrevo um "Memorial"
sem memória.
Umas palavras fraquinhas
rabiscam a página eletrônica...

Olha só, Primeiro Semestre:
a gente alegre, alegre.Parecia real.
E foi.
Até o Quarto Semestre.

O Primeiro Semestre trouxe o fato:
"A Escola Pública está em crise"...
Um professor disse assim:
"vocês não sabem escrever"!

Como assim? Não entendi!
Ele queria dizer, que a Escola 
não ensina ao aluno, de fato,
como produzir os Gêneros.

E ele queria um Projeto...
Meu Deus, o que vim fazer
nessa Torre impiedosa,
nas mãos desse "general"?

Apareceu lá de longe
um professor alto-astral,
muito sábio e carinhoso,
um "clínico" do saber.

Foi ficando com a gente,
falando e dando mil dicas...
Quem teve olhos, conseguiu ver...
Mas o que é bom dura pouco...

Este sábio professor-escritor,
teve de voltar pra longe,
para as terras friorentas,
e nós quedamos tristonhos...

Mas a vida continua,
E um outro professor continuou.
Deu-nos carinho e saber
até o Terceiro Semestre.

Professor e escritor,
muito bem aparelhado,
lido e até famoso.
Equipou nosso Discurso.

Depois, depois tudo ficou frio.
Um professor que não veio,
outro que não pode ficar...
Outro que estava em depressão.

Veio, porém, nos "salvar"
uma moça sem Estágio...
Valeu, "tudo vale a pena
se a alma não é pequena".

O Curso foi tomando corpo,
outras lacunas existiram,
mas apareceram de longe
um gaúcho e uma gaúcha.

MEMORIAL - PARTE I
este Memorial vai se modificando sempre que esta ingênua estudante lembrar algum fato. 
Como é um Memorial desmemoriado, essa atitude pode ser compreendida...

Solineide Maria de Oliveira

domingo, 8 de maio de 2011

O coração materno é diferente

O coração materno é diferente,
é maior, mas menor que todos.
É diferente...
Sente mais dor e mais amor.

É uma estranha fonte dos desejos,
ampara sonhos,
reconstroi sentimentos.
É diferente.

Um coração materno sempre busca
a criatura que se vai perdendo
nos tombos do caminho.
Um coração materno ama mais.

Nas estradas da vida
o coração materno é soberano,
amaina as tristezas do coração
dos filhos.

O coração materno é diferente,
sente melhor a dor que deveras sente
o amor de amar as crias
que Deus deu (dá) pra gente.

Para todas as Mães!