quarta-feira, 26 de outubro de 2016

A TURMA DO FUNDÃO DA ATUALIDADE

Existia uma turma, que antigamente era, até, saudável. A turma do fundão. Pois que não atrapalhava a aula, eles existiam, estavam na sala de aula, faziam gracinhas, mas passar do limite era ir para fora do recinto ou para a Secretaria. E aí era suspensão mesmo. Conversavam e trocavam bilhetes e cigarros. Depois, um saía e o outro também, com desculpas diferentes. A professora alertava, educadamente, que o tema era importante e tal, mas eles faziam isso, frequentemente.

Hoje a turma do fundão se espalhou. Mas NÃO tem as características (até poéticas) daquela outra de antes. Porque a turma de hoje ri alto, troca confidências sexuais na sala mesmo, até bolina os que, atentos, querem mais do que celular de última geração ou qualquer outro apetrecho eletrônico, porque estes, os que não pertencem à patética turma do fundão de hoje (doentinha) sabem ler e escrever de verdade.

A turma do fundão de hoje em dia, escreve errado no celular e passa para o papel, para o trabalho da escola, para a apresentação oral. Essa turma (de coitados) são, na verdade, os alienados de nada. Porque, até para ser alienado, é preciso ter algum objetivo. Mas essa turminha, não tem. Não querem chocar, reivindicar, não querem chamar a atenção...

Há um enorme vazio em seus comportamentos, seria o comportamento autodestrutivo de não ser . O que poderia fazer seus cérebros funcionarem sem seus apetrechos enganadores? Temos de ter comiseração dessa turminha... Temos de ver o que fazer para salvar essas pessoas: zumbis da tecnologia... Tecnologia que está aqui para ajudar e não para arruinar com a vida de ninguém. Mas existem sempre os que vão pelo lado deprimente das tecnologias...

O homem de antes usava o porrete para caçar e, ao mesmo tempo, maltratar a mulher, mas eles não entendiam como entendemos hoje (alguns...). Não tinham acesso ao Conhecimento de hoje. Eram homens da caverna, idade ultrapassada... Os meninos e meninas da turma do fundão de hoje (deprimente turminha...) são justamente os que NECESSITAM destas aulas Jaciara Santos-Jaciara Santos - Coach de Carreira e Palestrante.
Um dia eles perceberão que estão indo pelo caminho largo, que leva ao vazio.

(Solineide M. de Oliveira do Patrocínio)


segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Amizade das grandes...

Oi amigo Imbondeiro,
deixa ficar com você
um pouco.
Assim calados,
assim grandes
e calados.
Sabe amigo,
as pessoas
cansaram de ouvir.
Não aguentam.
Não querem.
Tenho uma amiga
humana,
que sofre do mal
da fala escrita
e falada.
Ela está fazendo
um
grande exercício
de silenciar.
Porque o Mundo inteiro
prefere falar
do que ouvir.
E quando calam,
os humanos,
é
mais
para ferir...
Eu vim descansar
um pouco
ouvindo
o
seu silêncio
enorme.
Ouvindo
suas palavras
enormes.
Silenciar
por
amor à Humanidade.
Sabe amigo,
essa minha amiga,
acha você muito
elegante.
E interessante.
Mandou - lhe um poema. Depois você lê...
(Solineide Maria)
18/10/2016

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

O amor e sua mulher



O amor tem mãos muito sensíveis,
apareceu na cozinha e disse:
"cadê meu café"?
Sorri.
Abracei-lhe forte,
e disse que estava perto de estar pronto.
Tomamos.
Ele disse  assim:
"vim lhe visitar,
estava saudoso de você
minha amiga".
Contou-me
que queria escrever
sobre uma mulher,
uma mulher
meio fraca e meio forte.
"Um poema comum sabe"? (Declarou).
Respondi que poderia entender.
Ele leu o poema quase pronto
sobre essa mulher.
Exclamei que era lindo seu texto
e que ela é interessante.
Ele confessou:
"é minha mulher".
Eu lhe falei que ficava feliz
em saber que sua mulher é assim:
fraca e forte.
Ele sorriu e confessou outra coisa:
"eu amo minha mulher assim: forte e fraca".
O amor é completamente apaixonado por sua mulher.
O nome dela é Amizade.
(solineide)