quarta-feira, 31 de julho de 2013

Realidade sonhada? Vinícius de madrugada!

Vinicius me disse assim:
Soli venha ler esse verso. Veja se está bom...
Eu li:

Não quero mais ser poeta!
Quero ser um verso pequeno...
Sair por aí e nunca mais voltar...

Quero crescer mais por dentro.
Aparar minhas arestas
e me amar!

Quero abrir minhas janelas,
afastar minhas querelas,
assistir-me num jantar!

Depois dormir feito anjo,
acordar que nem um canto
de sabiá!

Solineide Maria e Vinícius de Moraes?????

domingo, 28 de julho de 2013

Poema triste (28-07-2013)

Esse é um poema triste.
Não fala sobre nada demais,
apenas triste segue sua forma.
Seu jeito.

É um poema de adeus,
mas pode ser de solidão...
Pode ser de amor
e de morte.

Pode ser sobre esses temas
que enfraquecem qualquer união.
É um poema de dar dó,
de tão triste.

Ele não sabe (coitado) que está fadado a ser triste...
As mãos que o escrevem, são assim...
Desajeitadas com as coisas alegres,
não sabe cuidar do que lhe faz bem.

Ele não sabe que, no final das contas,
nem saberá dizer porque nasceu triste.
Esse é um poema confuso,
feito todas as pessoas que "calham" na solidão.

Solineide Maria

sexta-feira, 26 de julho de 2013

TRECHOS PARA MÚSICA DE UM SERIADO DE TV (mexicano)

quinta-feira, 25 de julho de 2013

PARA O MENINO-ASTRONAUTA


Meus Deus...
Dê-me a inocência de querer ser um soldado
e ter, apenas, um chapéu de jornal velho.
E a bravura de enfrentar um robô
mesmo que o sorriso, inocente,
esboce uma fragilidade aparente...

Solineide Maria 25-07-2013

http://www.clicrbs.com.br/especial/sc/jsc/19,6,4211923,Menino-de-tres-anos-fica-com-panela-presa-na-cabeca.html

terça-feira, 16 de julho de 2013

JUSTIFICATIVA E SOLICITAÇÃO À CRISTO

Jesus pediu para que hoje eu perdoe
mais uma vez, o desamor de meu irmão...
A voz severa, o olhar de nojo,
as palavras duras...

Jesus pediu para que esqueça as agruras,
a negação, a descortesia,
a falta de educação...
Aquele diálogo que não trouxe nenhum consolo,
aquela fala semelhante à obrigação...

Perdoo meu Senhor, mas me abrace...
Perdoo, mas segura a minha mão...
Perdoo, mas não largue o meu braço...

Difícil falar baixo, ser gentil,
num mundo onde quem ganha é o vozeirão...
Difícil dar a face e o manto
e vê-los espalhados pelo chão...


Ajuda-me Senhor, peço socorro...
Ampara-me em sua amplidão.


Solineide Maria de Oliveira. MANHÃ DE 16/07/2013.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

RESPEITE, AO MENOS, MEU DOMINGO!!

DOMINGO é dia para descansar, ler os livros da lista de espera (enfileirados num banquinho improvisado de um dos cantos da cozinha). Domingo é dia para fazer todo tipo de assepsia corporal, dia de ouvir as músicas prediletas e/ou assistir TV.
Acertei? Não!!!
Aqui na rua onde moro, Domingo é dia de barulho, muitas vezes, duplamente injusto, como no caso de ontem.
Às 08h00min da manhã minhas roupas já estavam estendidas no quintal de casa (quem mora em casa térrea sofre mais...). Já havia feito outras coisas, como varrer casa, arrumar quartos e sala. Quase não tenho capacidade física para faxinas muito elaboradas (o muito uso do computador para trabalhar, afetou a cervical).
Estava toda alegre, porque, enfim, daria cabo de planos, planejamentos e textos inacabados. Além, é claro de continuar estudando. Estou com vários textos para ler e resumir, outros para ler e analisar, outros ainda, para ler e olhar para dentro de mim...
Porém, uma movimentação me deixou muito ansiosa: carros parando emparelhados pelas portas das casas da rua, uma barraca sendo montada na esquina e um carro de som chegando devagar. Sinais de barulheira sem hora para parar...
Infelizmente não tenho o mesmo gosto musical da maioria das pessoas que estavam na festança... Se tivesse, teria sido um prazer, ouvir o vidro da janela quase se fragmentando, de tanto barulho que vinha de todos os lados da rua em algazarra.
A fuzarca era para a realização de um bingo no sentido de angariar fundo para campanha de uma chapa para presidente do bairro (chapa 2).
O pessoal dançou ao som do quadradinho de quatro e oito e bebeu e ridicularizou com o texto da Lei Orgânica municipal quando trata do TÍTULO VI que fala DA ORDEM SOCIAL - CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS. Lá, se começa dizendo assim:
“Art. 188 – A ordem social tem por base o primado do trabalho e como objetivo o bem estar social”.[1]
Daí por diante, o documento descreve um montão de direitos do cidadão itabunense, que, em verdade, em verdade não são cumpridos...
O furdunço da chapa que concorre à presidência do bairro continuou até 21h00min horas da noite de um DOMINGO. Dia em que já somos atormentados pelas corriqueiras vozes nasais dos cantantes de arrocha e coisas do tipo; dia em que existe aquele programa que reverbera em todos os aparelhos de televisão do país; dia em que nunca consigo realizar leitura, escrita ou pesquisa, sem terminar com tensão cervical grande...
O bairro Mangabinha jamais teve um representante que resolvesse o problema da FALTA DE ÔNIBUS, por exemplo...
Às vezes acho que só existe UM ônibus para atender a população daqui. Às vezes acho que nem existe ônibus... Porque outro dia fiquei 1 hora e 20 minutos, parada, como se não tivesse mais nada para fazer da vida...
Nenhum presidente deste bairro (Mangabinha), até hoje, resolveu o problema do Posto Médico que abre porque os funcionários são otimistas pra caramba... Nunca consegui um remédio, uma consulta. Claro que o pessoal é muito gentil, mas a cota nunca chegou até minha senha.
Isso me fez e faz usar o serviço particular, que também deixa a desejar, mas ainda assim é realizado...
Nunca votei em presidente de bairro, mas desta vez, sou capaz de votar, só para não dar vez para uma chapa que desrespeita o DOMINGO de uma cidadã que trabalha, acorda às CINCO da matina de segunda à sábado e precisaria de, no mínimo, uma hora de sono “livre” no seu Domingo caseiro...

SOLINEIDE MARIA
(15/07/2013)








[1] http://www.itabuna.ba.gov.br/concurso/lei_organica_municipal_itabuna.pdf

sexta-feira, 12 de julho de 2013

TEMPERO PARA MEU DIA

TEMPERO PARA MEU DIA
(Solineide Maria)

Ela ajeita o cesto na cabeça
E sai de longe, de bem longe 
Para o trabalho.

Sua sandália já bem gasta
denuncia que andou bastante
muitas vezes, por fiado...

Grita explicado que tem
salsa e tem coentro,
que tem alface e tem coentro
e tem jiló.. Informa a todos
que está por ali passando
e que o tempero para o almoço
não faltará...

“Olha o tempero” ela avisa
e para um pouco
pra consertar a rodilha na cabeça.
Uma vizinha lhe oferece um café,
enquanto escolhe um coentro
no tabuleiro...

Essa mulher me deixa muito,
muito menor,
quando revejo as minhas queixas
tão corriqueiras...

Ajeito minha pasta e agradeço
meu despertar com tamanha
sutileza...

Ajeito lápis e canetas e pilotos...
Ajeito os óculos,
ajeito o relógio.
Ajeito a mesa...

Ajeito a alma
e vou pra vida...
A minha é moleza...

DE Solineide Maria
07h15min – Rua Bela Vista... Mangabinha...
PARA a vendedora de temperos, que passa todos os dias (TODOS OS DIAS) na rua em que moro... E hoje está FRIO... Ela já está quase sem material de trabalho, isso denuncia que já circula desde muito antes desse meu despertar sonolento.

terça-feira, 9 de julho de 2013

MINHA FADA MADRINHA DA LEITURA

Minha Fada Madrinha é brasileira.
Não se veste com aqueles vestidos estrambólicos...
É moderna ela!
Ama Clarice (a Lispector...) e escreve quase feito ela.
Minha Fada Madrinha é bonita:
sorri feito quando o céu se abre,
e abraça feito quando a vida está tranquila!...
Minha Fada madrinha da Leitura é paulista!
Simone Paulino é seu nome (mas podia ser Alice...).
Nem sei se ela sabe disso,
que me conforta
feito a Mãe Divina,
que me alegra
igual Francisco à Natureza,
que me incentiva
como faz Cristo aos degredados da sorte
...

Para Simone Paulino
(porque todos precisamos de Fadas madrinhas da/e para Leitura...)

Solineide Maria

Pedido

Traz Tua veste 
pra banir esse meu medo... 
Dá-me Tua água 
que refresca toda coragem.

Solineide Maria

domingo, 7 de julho de 2013

PRAIA PARA BETTY!

Betty está linda! 
Atravessou com força muita ventania.
Sorriu bem firme contra toda hipocrisia
e chegou leve à casa da alegria.
Setenta? Mais?
O que importa? A alma é jovem!
A paz que tem custou muita sabedoria.
Hoje ela pode desfilar só de biquíni
e se quiser, pode mergulhar sem ele.
Beth não tem necessidade de aprovação,
o seu Currículo não tem vaga
para 1 não...
Betty pode desfilar de todo jeito!
Ela é livre!
Ela é livre...
Betty... Lamento...

TE AMO BETTY! De biquíni, sem biquíni, na praia ou na piscina!
(Solineide Maria - 07-07-2013)

sábado, 6 de julho de 2013

Prece sincera demais...

Quero amar Senhor, abre minha alma.
Coloca em minhas mãos a humildade.
Quero amar, Senhor, acolhe minhas ansiedades...
Mas quero ter Senhor, para viver:
uma sandália,
um dinheiro para a vida,
uma casinha para Flora e um filtro de água limpa...
Quero amar Senhor... Mas não me abandones...
Tu eras Jesus, eu sou isso aqui...

Solineide Maria