terça-feira, 4 de agosto de 2015

EU SABIA QUE ERA POESIA... Sabia que Tu fostes o Pai da (verdadeira) Poesia...

Quando Ele falou
elegeu o lírico...
Inspirado Trovador,
Ele,
a Poesia em si,
ensinou em versos.

Em versos,
enlevou os mais sensíveis,
àqueles que sabia serem simples,
mas apenas no Status
daquela época.

Em versos divulgou o Amor,
discorreu sobre a arte
de amar,
ensinou a luz da vida
em pleno movimento
e fez de tudo
para seus irmãos sedentos,
tomarem daquela água
de entendimento.

Ah Divino Mestre... eu sabia!
Sabia que eras a Poesia em si!
Sabia que Tuas palavras,
para permanecerem
eternamente
tinham brotado da fonte linda
do coração infinito
do Dicionário do Amor.

O Amor,
que é poesia em movimento,
que enfeita até o mais
melancólico momento,
que altera a tristeza em alegria,
que faz dia
uma noite em tormento.

Eu sabia...
sabia que sendo Mestre,
Tu só podias ser poeta.
Que sendo Luz,
só podias ser poesia,
que sendo a imensidão
da alma do Planeta,
Filho de Deus,
voluntário pela paz
de todos os seus irmãos
mais novos...
trazias a própria Poesia,
na pele dos vocábulos.

Na ressonância de tua voz
as palavra se faziam
ecoar,
para toda a eternidade:
tornando-se clarins
da Caridade.

Quando usou a prosa,
em narrativa:
foi para discorrer
em Parábolas educativas,
àqueles que tinham outro
entendimento.
Mas nem por isso,
abandonou a Poesia.

Jesus
doce Irmão,
Abnegado benfeitor
Incansável Trovador
da paz e do Amor,
Bendigo Teu nome
Tua existência.
E rogo
Tua eterna clemência
por estarmos, ainda, assim,
apesar de tanto ensinado
por Ti.

Mas como Poeta que És
sei que em teu coração
a crença na absolvição
é maior do que a da punição.

Por isso,
me ofereço para ser
aquilo que possa fazer
florescer
alguma flor ressequida,
alguma alma caída,
alguma terra sem vida...

Amigo,
Poeta e Mestre,
rogo:
Faz com que minhas palavras
tenham alguma
utilidade para mim,
mas ainda mais,
para meus irmãos.

E que a humildade seja
presente em meu coração
de Ser crescente.
Porque sem humildade
Meu Irmão,
como ensinaste,
"descolore e silencia
qualquer boa intenção"

Para Jesus Cristo.
Com muito Amor.

poema de sua irmã,
Solineide Oliveira Rodrigues.
(certamente muito inspirada pelos poetinhas do Astral)

Dedico a Natanael, Claudionor, Alenon, Alaor, Catarina, Terezinha, Maria Dolores, Auta de Sousa, Maria João de Deus e todos os poetas do Astral.
Dedico à minha filha Flora Duarte​, ao meu amado Rafael Rodrigues​, minha irmã generosa Neide Maria Oliveira​ aos amigos-irmãos do Meditação e Caridade,
Dedico à todos nós, amigos "facebookianos" ou não.