quinta-feira, 19 de outubro de 2017

PÉ DE ESPERANÇA (uma criança).

Nasceste num tempo
onde flor
e amor
estão a cair
no esquecimento.
Mas seja forte,
estou aqui,
nunca vou sair de perto de ti
que ainda nem vi...
Não tocar
não diminui o amor Dante
Tu és
meu pé de força...
Pé de esperança
Uma criança... E já tão forte.
Veja, sinta, ame;
mesmo que as pessoas
não sejam amor derramado,
siga amando
sorrindo,
vendo
bonito assim
por dentro,
por dentro Dante.
Por dentro
se a gente é grande
é maior.
Te amo.



Vovó Sol (Solineide Maria Rodrigues)
Para DANTE.
4 meses de luz!
Luanda 20/10/2017

OS 300 DE SOMÁLIA


PAI
Dai colo para esses 300 filhos
sem rosto.
300 almas deserdadas de tudo,
tisnadas no fogo da maldade.
Deserdadas de pão e de colo,
de amor e de estudo…

Pai
Acolhei esses 300
que não estavam guerreando…
Não tinha marido a ser defendido,
não tinha rainha a ser perseguida.
Não tinha narrador para esses 300 Pai…

Pai dai de comer,
dai de beber,
dai uma cama…
Um cobertor…
Pai Maior.
Tem até erê…

Eles estão chegando com os Pais
João de Angola,
Joaquim,
Benedito…
Esses papás dos pequeninos da Terra.
Acolhei Mãe,
dai colo a esses 300
que nunca foram acolhidos
aqui na Terra.
Que assim seja
(Solineide Rodrigues)
19/10/2017
Luanda

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A POESIA VEIO

A poesia planta palavras diz assim : 
Sol, vem. Eu consigo ouvir. 
 Vou. 
Ela me fala que me ouviu. 
E que veio porque teve misericórdia de mim. 
Deu- me um abraço enorme igual a um paralelepípedo
desses que andamos à mar-abalizar quando infantes... 
Ela estava triste. 
 Contou que foi para um Congresso das palavras cansadas. 
 Poxa vida... 
A poesia fica sem palavras sabia disso? 
 Eu fiquei muda. 
Perplexa! 
Também eu estive muda. 
Contei. Ela pediu desculpa...  
Porque tem um pouco de colaboração na minha mudez. 
Pois... Disse. 
Abraçamo-nos. 
Ela prometeu não sumir tão já. 
Depois, tomamos café, 
contei as novas idades... 
Ela contou novidades. 
E a noite acabou. 

Autoria:  Solineide Oliveira Patrocínio Rodrigues

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

QUERO SER MENDIGO DE AMOR

A forma mais sublime de amar é amar mendigando.
Porque é de tal modo bonito ser mendigo,
não ter nada e só ambicionar amor, amar...
É tão sublime ter sede de amor
que mendigar amor se torna assim
a mais autêntica forma de subir.
Passei dias pensando sobre isso,
e um poeta, Carlos, declarou:
"olha Sol, discordo de mim mesmo hoje.
Hoje quereria ser mendigo de amor".

(Solineide Maria de Oliveira do P. Rodrigues)

terça-feira, 25 de julho de 2017

DIA DOS AVÓS (MEU PRIMEIRO DIA ENQUANTO VOVÓ DE DANTE)



Ser avó
emoção que a palavra não expressa
sentimento que apenas a alma
confessa.

Outra vida
na vida de um filho nosso.
Outra voz a dizer
mamãe,
papai,
para o filho que nos disse
um dia:
mamãe, papai...

A mais doce melodia:
um coração a bater
dentro do coração
do nosso filho,
da nossa filha.

E toda a paz de perceber
que amor com amor
eterniza
o amor de eras.
E que amar
é o que viemos cá fazer.

Solineide Oliveira Patrocínio
(Dia dos avós)
26/07/2017

domingo, 23 de julho de 2017

FIM DE MUNDO

Diziam (os mais velhos),
que no fim do Mundo haveria Anjos e trombetas...
Nem Anjo e nem Música Divina.
Nem um Serafim...
Contentemo-nos uns sem os outros.

(solineide)
Livro de Solineide - Poesia nenhuma Ano: 2000 (na gaveta)

DANTE antes

Ele fez um mês na Terra. Olhos maiores, pele mais esticada e mãos alvas e também maiores (17/07/2017).
Tem um mês que deixou o Plano Espiritual e veio para a matéria.
Dante, Deus lhe abençoe pelas estradas da vida aqui na Terra.
Coragem meu neto. Amor no coração e fé em Deus. Para sempre.
Te amo.
Vó Sol.