sábado, 23 de julho de 2016

UM POETA TRISTE (poema número 2)




Um poeta

 é um pateta...

 Fica triste,

 chora,

 sorri,

 fala baixo...

 mais baixo... muito MAIS

 baixo...

 No entanto,

 como está alto

 o som de suas palavras

 dentro do coração.

 Elas gritam atenção...

 Um poeta triste

 é uma floresta

 morrendo

 por dentro...

 Primeiro

 morrem os pássaros,

 que seriam as ideias...

 A inspiração...

 o mote...

 Depois...

 morrem os animais,

 que seriam

 a alegria dos poemas

 escritos,

 passeando vida.

 Depois,

 o caos,

 instalado,

 vai matando tudo o mais...

 Perder a poesia

 é assim...

 É como se uma floresta inteira

 morresse...

 E depois

 é como

 se

 o Mundo

 inteiro

 morresse...

 (solineide maria de oliveira do p. rodrigues)

Nenhum comentário:

Postar um comentário