quinta-feira, 10 de setembro de 2015

ENCONTRO DE CORPOS

Meu corpo, coitado, 
fica pensando que pode tudo 
e esquece que há nele mesmo
um outro corpo... 

Um 
que precisa de alimentos leves: 
flor, 
canto de quero-quero, 
sol poente, 
água de ribeirão, 
terra vermelha,
terra preta, terra... 

Meu corpo, 
às vezes, 
sente tais necessidades também, 
mas é danado esse corpo físico... 
ele pede: 
carne, 
pão, 
pedra, 
massa, 
café... 

Ai ai desse corpo... 
 Um dia vão se entender, 
já o sinto... 
Eles já estão a se entender... 
Um já espera pelo outro 
no minuto do êxtase... 

Um já entende o outro no excesso de bebida (café). 
Os dois encontram-se à noite 
 e debatem sobre mudanças benéficas 
para ambos. 

Um dorme e o outro, 
acordado, estuda e aprende. 

Às vezes, apenas estuda... 
Mas já adianta alguma coisa... 
Esses corpos estão quase unidos. 
Graças a Deus!

Solineide Oliveira Patrocínio

Nenhum comentário:

Postar um comentário