domingo, 14 de dezembro de 2014

"Só dou informações da Claro"... (Bete e seus foras...)

"Você pode me infor..." Abruptamente foi interrompida pela moça de voz grave a dizer que: "informações só da Claro".
Bete não soube o que fazer, mas achou melhor seguir, ainda que indignada, porque falta de educação indigna os sensíveis...
Ainda olhou assim de soslaio para ver se alguém havia visto que ela tinha sido agredida e seguiu, lentamente, sem sentir as pernas...
Avançou junto com o fluxo de pessoas para o Poupatempo (SP). As placas indicam aos transeuntes onde fica tal instituição. Bete pensou: "nem precisava passar por tamanha falta de educação".
Nesse momento, Bete ouve uma música muito linda e agradece por ouvi-la. Uma música clássica linda, a Ave Maria de Shubert.
Bete achou muito boa a ideia do Metrô de colocarem a disposição no seu Serviço de Som, música clássica.
Eis que de repente... Uma boa surpresa acontece! Não era gravação nada! O som que enfeitava os corredores do Metrô saía de um jovem violinista que se apresentava solitariamente num canto da saída de uma das saídas do Metrô Sé.
Bete parou. Agraciada e mais uma vez agradecida parou. Ouviu Shubert em sua Ave Maria belíssima!
Foi um bálsamo maravilhoso! Aqueceu a alminha cansada de Bete num dia que parecia persistir em aborrecê-la.
E Bete agradece a Deus, a Shubert, a Zeus, Bach, Lizt e Shubert... E a todos os Amigos Espirituais da Arte.
E nossa amiga fica sem saber se estava na Sé ou Nosso lar... Que importa? Importa que ficou CLARO que a ARTE aclara, salva e compensa seguir.
E claro que Bete ficou com dó da moça da "Claro" porque ela não pode ouvir a música linda que enfeitava a Estação Sé (onde ela trabalha tão mal paga e mal amada).

SOLINEIDE MARIA DE OLIVEIRA
SP - DEZ. 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário