quinta-feira, 22 de maio de 2014

DESEJUM COM A SAUDADE

A saudade acordou descompassada...
Olhou-se no espelho e disse:
"Estou com cara de pasta amassada".
A moça sorriu dela.
Depois,
a saudade tomou café com a moça
(que tem mãos pequenas)...
Ela disse que iria ficar em casa,
lendo o livro de Florbela,
para se aplicar melhor em
"maneiras de fazer os amantes
sofrerem por ausências"
(curtas ou longas).
E deu uma risadinha sarcástica...
A moça ficou calada:
levantou e foi escovar os dentes.
Ela gritou do quarto:
"Hoje não vou perturbar muito você".
A moça sorriu baixinho,
trancou a porta e saiu
para o trabalho.

SOLINEIDE MARIA DE OLIVEIRA
Maio de 2014
Curtir ·  · Promover · 

Nenhum comentário:

Postar um comentário