sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Ato de descontração

Juro que não quero Senhor, ser um pedaço de carne para qualquer um... Uma taça de vinho e pão e luz para uma noite qualquer. 
Juro que não desejo mais, a pouca nitidez de palavras que não ficam. Dessas que a gente se esforça em rememorar. 
Prefiro a Tua voz a me dizer que fique e descanse no Teu ombro a falta de coragem. 
Depois, deixa que Te faça um peixe ao azeite, deixe que Te sirva água, depois Decidirás se será vinho ou não. 
Depois eu quero Teu pão que me alimenta muito mais. 

Solineide Maria do Livro de Orações da Mulher (em edição)



Há outros textos meus no endereço abaixo:


Visitem-me. Deixem comentários!

Nenhum comentário:

Postar um comentário