domingo, 30 de junho de 2013

UM GOL

O que é um gol? Bola na rede e um ponto a mais no placar? 
Não. Não é só isso... 
Daqui do quarto sinto que não é, apenas, invadir a rede do adversário com um objeto redondo, de couro: uma bola. 
Daqui do quarto limpinho (faxinei com minha filha) sinto que um gol é um disparo na tristeza, com uma bala de borracha? Que seja... Mas é interessante notar que há uma força, que há uma... Energia? Sim. Parece que pega na alma até de quem não gosta de futebol. Parece um beliscão na indiferença de quem prefere ler, estudar, dormir... 
O que é um gol? E o que é mesmo Futebol? 
Lembrei-me de meu pai e sua silenciosa torcida anos a fio: radinho de pilha e olhos fixos na TV... 
Nunca entendi como é que se fica tanto tempo, sentado, sofrendo a expectativa de um gol que parece nunca chegar. 
No entanto, dá para entender o grito, o riso, o susto-gozo pelo gol que chega e, afinal, faz balançar a rede, a torcida, a rua em gritaria insana, a sala e o quarto... O quarto de onde escrevo essa tola descrição do que chego a entender sobre um gol. 

Solineide Maria de Oliveira. 
Copa das Confederações. 
30/06/2013.

3 comentários:

  1. Amei vc nos surpreende a cada dia com seus belos textos!

    ResponderExcluir
  2. uma visão muito linda sobre o gol. Até eu que odeio o futebol amei seu olhar e me identifiquei. Só podia ser poetisa mesmo viu. PARABÉNS!

    ResponderExcluir