sexta-feira, 17 de maio de 2013

Da alegria


Eu queria tanto escrever um poema alegre,
Bem alegre!
Tão alegre que não deixasse nenhuma fissura,
Nenhum espaço,
nenhuma borda
Sem sua maciez.
A alegria é macia
(deve ser).
Ela chega como os primeiros raios de sol,
Silenciosamente...
Ela abraça a pele, enxuga o coração,
Põe a alma da gente pra dormir.
Deve ser...

Solineide Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário