quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Uma tarde deserta



Uma tarde deserta
tem uma doçura triste,
feito um coração indiferente.
Feito uma cama arrumada...

Uma tarde deserta
convida a deitar de olhos abertos,
sem crer nem duvidar,
como fazem os covardes.

Uma tarde deserta
não serve para escrever cartas.
As palavras não aparecem,
nem sinalizam sequer...

Uma tarde deserta
pertence àquele grupo de coisas
de entristecer.
Divide parede com a solidão vazia.
As noites sem poesia são as suas tias.

Solineide Maria 
(Livro De guardar, de esquecer, de lembrar. Prontinho para edição).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMER APROVA O TRABALHO ESCRAVO

De onde saiu essa criatura que atende na função de Presidente de um país com gente que trabalha para pagar feijão, arroz, carne seca, água?...