terça-feira, 13 de novembro de 2012

Poema não escrito

Um poema quer ser escrito,
mas a "poeta" está longe...
pensando nos problemas de agora,
lembrando dias calmos.

Ele senta e toca na mão da poetisa:
mãos macias, maternais, musicais.
Mas a cabeça do instrumento não retorna
aos campos líricos da criação poética.

Ela está presa ao mundo visível,
está atada ao que é fixo,
sofre a inexatidão do que é palpável.

O máximo de metafísico que consegue
é organizar algumas ideias para o dia seguinte...
O poema lhe beija a fronte e retorna para o ar.

Solineide Maria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMER APROVA O TRABALHO ESCRAVO

De onde saiu essa criatura que atende na função de Presidente de um país com gente que trabalha para pagar feijão, arroz, carne seca, água?...