segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Senhor, receba por enquanto apenas esta prece...

Ainda não sou gentil, 
não tanto quanto gostaria... 
Ainda elevo a voz, 
ainda eriço a testa, 
não calo, calo, calo. 
Ainda não sei não dizer. 
Ainda não sei usar as palavras certas... 
Os vocábulos me traem... 
No entanto Senhor, 
Tu que sabes que lá no fundo 
guardo o melhor de mim: 
o vestido mais bonito 
(embora puído), 
a sandália mais simples e confortável 
(ainda que gasta), 
o anel mais polido 
(apesar de latão inútil). 
Abraça-me apertado 
quando observardes que 
estou prestes a desistir 
do melhor que há em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário