quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Poemas (e outros) de 20 anos atrás

Soberba esperança (1986)


A esperança agora é virtude
de poucos.
(...)

O mundo não percebe,
o Brasil não percebe...
Esse Governo mente,
nossos Diretores mentem...

A esperança agora
é honra...

rsrs
Antes usava muitas reticências. Claro que não transcrevi o embrião de poema na íntegra. Foram os melhores versos aproveitados. rs 

As instituições Escola/Educação começava a mostrar mais fortemente a cara da crise que viria para desembocar no caos que vivenciamos hoje.
Alguns políticos já sugeriam roubar e mentir... Algumas pessoas já sugeriam venderem-se...
Enfim... Era o presente se fazendo no pretérito imperfeito.
Realmente ... As reticências eram necessárias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMER APROVA O TRABALHO ESCRAVO

De onde saiu essa criatura que atende na função de Presidente de um país com gente que trabalha para pagar feijão, arroz, carne seca, água?...