quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Poemas (e outros) de 20 anos atrás

(1986)

Ficamos suspensos 

sobre as finas cordas 
do um futuro desconhecido.

Com medo de cair

onde não sabemos.

Ficamos cansados

como tudo o que é velho.
Ficamos sós,
como todos os covardes ficam.

Este poema foi escrito para uma desventura na "política" que dizia apoiar os estudantes do CEI (Colégio Estadual de Itabuna). Na época, essa que vos escreve, era "metida" a gremista...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMER APROVA O TRABALHO ESCRAVO

De onde saiu essa criatura que atende na função de Presidente de um país com gente que trabalha para pagar feijão, arroz, carne seca, água?...