sexta-feira, 17 de agosto de 2012

O ESPAÇO DE MIM


18-03-11_110741

Nem tudo é como a gente quer, mas esse cantinho me apetece. Abraça minhas pequenezas e amplidões. Sabe como sou e como me sinto, sempre.
Às vezes está aberto, mas às vezes fica fechado. Não por zanga, por cuidado. Esse lugar gosta de mim.
Tem asas de papel. Elas me fazem voar pelas estrelas mais distantes. Às vezes me fazem ficar e entender coisas, para depois explicar. São asas incríveis, que desfilam sabedoria e glória. Desfilam também, inglórias, em geral, causadas pelos humanos.
Tenho minhas asas prediletas. Aquelas que, volta e meia, revisito. No entanto, vivo usando asas novinhas, que se mostram em vitrines com cheiro de aventura, ação, suspense. Enfim...
Nesse lugar a janela me abre um sorriso branco e azul. Às vezes verde. Estou falando do mar. Que presente da natureza. E nem mereço, sou da raça que mais aniquila tais beldades naturais... Mas me abasteço, nesse lugar de energia salutar, quando a vida bate de frente na minha cara.
Um breve ventilador me refresca a esperança de pele fresca. Às vezes não dá muito certo, mas a janela ajuda e aí tudo certo.
As paredes desse lugar são claras e conversam entre si. Riem de mim demais, quando estou às voltas com problemas emocionais. 
É meu cenário. Minha camarinha. Meu escritório. Minha praça da cidade. Meu quintal. Minha sala de estar, muitas vezes. Meu palco. 
Meu útero exterior.

De Solineide Maria

2 comentários:

  1. Que lindo, Sol! Seu olhar como sempre deixa tudo bonito! Te amo! Bjo!

    ResponderExcluir
  2. Gostei...Bela espressão de uma simples foto!
    Olhar de Poeta!...♥

    ResponderExcluir

TEMER APROVA O TRABALHO ESCRAVO

De onde saiu essa criatura que atende na função de Presidente de um país com gente que trabalha para pagar feijão, arroz, carne seca, água?...