segunda-feira, 9 de julho de 2012

Para minha mãe



A casa hoje estava com saudade.
A porta, a janela, a cadeira.
O seu retrato preso na memória...
Uma agonia. A sala? Incompetente.

A sua roupa, junto ao cobertor,
e o seu quarto: triste moribundo.
O seu casaco em solidão total,
sentindo frio, abraçava o sobretudo.

A cozinha, sozinha, consolava
o fogão, que fraco aquecia
um café velho...
abatido pela noite.

A casa é sua, não há outra senhora.
O chão, o teto, as vigas, as paredes.
Até o passarinho lhe procura,
sentindo, inconsciente, essas horas.


A mesa inútil, resistindo a falta
do seu tempero e da toalha alegre.
A foto de Jesus olhando a porta
vigiando, saudosa, sua volta.

Para minha mãe, que muita falta faz, quando viaja para a Fazenda dois corações, com meu pai.

Um comentário:

  1. Q coisa linda! Só em ver a foto deles me emociona!
    Grandes pessoas!
    Esta é a sensação q todos sentimos com a ausencia, mesmo q perto: SAUDADE!

    ResponderExcluir

TEMER APROVA O TRABALHO ESCRAVO

De onde saiu essa criatura que atende na função de Presidente de um país com gente que trabalha para pagar feijão, arroz, carne seca, água?...