segunda-feira, 7 de maio de 2012

Estou desligada da Poesia temporariamente. Bilhete para Regina (sobrinha que solicitou poemas novos)


Minha querida sobrinha Regina...

Estou desligada da Poesia temporariamente...

Ela até esteve aqui em casa ontem...
Mas me viu tão triste e só, 
tão abatida e fria,
que preferiu me preparar um café
e cobrir minhas pernas e pés.

Preferiu deitar
minha cabeça em seu colo,
quente, macio
calmo e perfumado.

Depois,
contou-me histórias
de antigos amores 
que deram certo:
apesar de enfrentarem 
marulhos
de imensidões infernais.

Pediu desculpa por não poder ficar
até que eu dormisse.
Disse que, nesses momentos,
é bom não ler nada:
nem poesia, 
nem ficção científica,
nem notícias de jornal, 
nem gibi.

Aconselhou que, nessas horas, 
é bom enfrentar o silêncio.
Encará-lo, firme, 
com as mãos prontas para no caso
de precisar ir às vias de fato.

O silêncio gosta de briga de braço...

Pediu desculpa 
por ter de enfrentar uma situação
tão "indescritível",
justamente por causa dela.


Deixou uma xícara limpa,
com um sachê de chá dentro,
e indicou "camomila" até ficar boa.

Falou para me demorar 
o tempo que fosse necessário.
Afirmou que estará apta à voltar, 
assim que (eu) esteja pronta para
realizar nova conexão.


Um beijo Regina,
eis o motivo do "sumiço de novos poemas".
Obrigada pelas visitas reiteradas ao meu Blog.
Espero que essa conexão se dê em breve espaço. Mas não garanto.

2 comentários:

  1. Uma pena a sua ausencia, ou melhor a sua ausencia e da poesia.
    Espero que seja breve, e se "precisarem" estarei aqui.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Volta logo! Estamos com saudades.
    Um poeta não pode fazer isso, se ausentar da poesia e nem o contrário pode acontecer. Amo muito você e sua poesia. Volta vai...
    Lili (SP)

    ResponderExcluir