segunda-feira, 26 de março de 2012

O Anonimato

É mais gostoso o doce anonimato:
suave encanto para todo amante,
enlevo para os crentes da poesia,
luz de amor acesa em todo canto. 

É melhor a voz do anonimato 
a inspirar sonetos delicados;
abrindo o peito feliz à fantasia 
compondo só - canções de alegria. 

O anonimato é chale contra o frio:
é a paz do corpo em febre de agonia,
é lápis para o papel da solidão. 

Querido amigo é o bom anonimato: 
fica calado quando o sono pede, 
tagaralela se o peito necessita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário