quinta-feira, 6 de outubro de 2011

PRECE

Há no meu peito uma certeza
embora embalde.
No meu castelo, cartas desmarcadas
por toda parte.

Há no meu seio, uma flor fechada
por desilusão.
Na janela da frente,
uma orquídea em putrefação.

A amizade tem dessas coisas:
decepção...
Mas o Amor vem e sustenta
a nossa mão.

Por isso hoje, venho a Ti
oh meu Senhor! Entrego minhas mãos
e peço colo e cobertor.

Entrego meu olhar ,
e peço alívio
ao meu torpor.

Para meu amigo Lourival lá longe...
E para meu amigo Musashi, que perguntou: "por que seu eu-lírico
está melancólico?"



2 comentários: