quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Cogitações eternas

“Tudo o que vemos é outra coisa”.
E nem vemos.
É uma artimanha o que os olhos fazem.
Cores que não existem,
imagens que não são.
Flores cegas, inatingíveis.

“Tudo o que temos é esquecimento”.
E nem isso. Porque a memória revive,
memória do esquecimento...
Para mastigar com melancolia,
saudade; ou amor.

“O segredo da Busca é que não se acha”.
Talvez.
Porque sempre achamos alguma coisa,
algo. Inda que seja outra coisa.

“Assim cheguei a isto: tudo é erro,
Da verdade há apenas uma ideia
A qual não corresponde realidade”.
Pode ser.
Um erro pode criar
uma verdade qualquer,
pode ser, pode não ser.
Cogitações eternas...


Solineide Maria Os trechos em aspas são de Fernando Pessoa, em O primeiro Fausto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário