sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Depois de ter você

O que se diz quando o dia aparece em cores novas,
nunca antes experimentadas?
Meus olhos estão agora sem saber para onde olhar,
para onde ir...
Cadê a sua mão?
Para onde vai você depois de amanhã?
O desassossego da pressa em responder perguntas
que se fazem sozinhas...
Onde você esteve tanto tempo?
Olhar o quê depois de ter  você?
Desenhar paredes invisíveis,
sonhar com lugares nunca dantes imaginados.
Fazer o quê, depois de ter você?

Para os quase-amores. Este poema estava escrito desde 1992.

Nenhum comentário:

Postar um comentário