domingo, 28 de agosto de 2011

A casa de Paulinho

A casa de Paulinho tinha um portão
nhenn, nhenn! Era assim o barulho dele.
Preguiça de abrir e fechar,
preguiça de fechar e abrir...

A casa de Paulinho tinha uma cozinha
toda vermelha:
fogão, mesa e geladeira!
A gente se esquentava comendo bolinhos de chuva...

Era tão bom ver paulinho (quase gay)
e a mãe dele dizia: Isso são modos menino?
Ela já sabia... e o amava.
E Paulinho era amado por todos!

A casa de Paulinho era quentinha,
e cheirava a bolinho de chuva,
e acolhia a gente, quando saíamos do CEI,
a gente ficava na sala, vendo O Incrível Hulk!

Hoje a casa de Paulinho não existe mais,
fisicamente.
Virou um desses prédios sem graça,
com muitos apartamentos pequenos...

Nunca mais o portão,
nunca mais as velhas e largas janelas,
nunca mais os bolinhos de chuva.
Nunca mais Paulinho...

Um comentário: