domingo, 25 de julho de 2010

As palavras me pegam de surpresa.
Todo dia é assim e sobre a mesa nem sempre há exatidão.
Exatidão não é coisa da palavra.
Elas colhem em nós o mais difícil de expor, de descrever.

Fatalmente "erramos" em algum trecho do discurso:
falado ou escrito.
Inda tem a ortografia e a gramática!
Meu Deus! Essas orações todas que existem...

As palavras seguram no meu braço,
pedem voz.
O que faço! Às vezes desespero.
Porque nem sempre consigo bem dizer...

Então lembro que antes era o nada
E que Deus deu assim de dizer:
FAÇA-SE O VERBO!
E Ele habitou entre nós.

Por isso, peço a Deus
Muita coragem,
Muita sensatez e mais
Adestramento.

Tudo vem Dele e para Ele deve ser.
Amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário