quarta-feira, 9 de junho de 2010

DIÁRIO DE UMA DAS DEZ VIRGENS

Em verdade, em verdade te digo que sei que o meu som não causa nada em teu olhar.
Que é difícil, por dentro, nos unirmos. Bem, assim, por fora.
Em verdade, em verdade te digo que não aprendi ainda a me conformar com pouco. Por isso, tanto evoco por ti.
São palavras sem som, eu sei. Mas o que é palavra? E o que é som?
Em verdade, em verdade estou repleta de sins. Preciso aprender a ficar plena de nãos.
Em verdade, em verdade, não é pecado ser tentada, mas é preciso erigir barreiras.

Solineide Maria
01/10/200

Nenhum comentário:

Postar um comentário