quarta-feira, 31 de março de 2010

PARA ORFEU

Olha Orfeu no que me transformei. Apenas sombra, apenas violência, apenas eu nem sei...
Não me procures mais, já não existo. O vento me arrastou para onde não sei.
Caminho agora perto dumas ruínas de eu mesmo.
É tudo escuro, verde, marrom e fedorento.
Talvez a Morte venha cedo me arrastar.
Talvez eu viva até me encontrar.
mas eu não tenho certezas Orfeu...
Não tenho nem mesmo incertezas.

Um comentário:

  1. Soli, me conta do momento que escreveu Orfeu, muito trágico...
    Rafa.

    ResponderExcluir

17 DE JUNHO DE 2018 - ANIVERSÁRIO DE DANTE (meu netinho)

Dante, quando você crescer não vai lembrar de que fomos ao Pronto Socorro em seu Aniversário. Não foi nada demais... era uma virose, s...