segunda-feira, 8 de março de 2010

Ora! Ação! Mulher!

quero ser pobre Senhor,
em mim, somente ter,
a vontade de Contigo visitar
Lugares Altos.

Dinheiro, algum,
para pagar o pão,
o leite (em casa), e o cafezinho
na universidade, cidade, nos lugares.

quero, um dia, ser Amiga
de Draetta. De fato.
Ele, que já me deu quarenta livros,
eu a ele, apenas um.

Um dia, naquele dia explêndido,
quero ser tão pobre
quanto Nossa Senhora dos Nadas.
Ter, somente, um fio de esperança.

Esperança basta para o amor,
para a boa leitura,
para que a mão boa não mude,
não bata...

Mas se bater, que eu, pobre de tudo,
ofereça a outra face,
seca,
ressequida e sem disfarce.

quero não querer.
Dá-me Vontade de agir e reagir
mas sem ferir (muito) meus valores,
minhas raízes...

E, se alguém disser que estou
"tão diferente",
que eu, rapidamente, responda
Graças a Deus!


Amém.

Solineide Maria de Oliveira - 8/de março/de 2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário