terça-feira, 9 de março de 2010

ainda amo
mas nem muito,
nem bastante.

sempre acordo,
mas prefiro
o acalanto
do que nem

tanto
nem tão pouco
nem demais
nina meu pranto.

viro pro canto,
volto à dormir,
nas ondas altas
dos vitrais

de algum sonho
azul,
bordado
de festim

sinto alegria,
mas também pranto...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMER APROVA O TRABALHO ESCRAVO

De onde saiu essa criatura que atende na função de Presidente de um país com gente que trabalha para pagar feijão, arroz, carne seca, água?...